| Mapa do Site |

Tamanho do Texto: Grande / Normal / Pequeno |

 
               
  Home Porque Eurotherm Aplicações   Regulação   Suporte Ciclo Vida   Soluções   Contato
 

Novo e-mail - vendas.eurotherm.br@schneider-electric.com

Telefone - +55 19 3112-5333

Você está aqui >> Home >> Aplicações >> Esterilização

Home

Aplicações

BMS & EMS

Fermentação

Congelamento à Seco

Hidrogenação

Cobertura de Comprimidos

Àgua Purificada

Secagem por Atomização

Esterilização

Esterilização ETO

Soluções de Monitoramento

O Processo de Esterilização (Autoclaves)

 

Ao longo da história, a humanidade tem utilizado o fogo para purificar coisas. O calor gerado por uma aplicação a altas temperaturas atua no rompimento das membranas e desnaturação de proteínas e ácidos nucléicos. A queima, porém, é um tanto excessiva para o uso cotidiano.

 

Agentes transmissíveis (tais como esporos, bactérias e vírus) podem ser eliminados através da esterilização. Isso é diferente da desinfecção, na qual apenas os organismos que causadores de doenças são removidos.

 

Alguns métodos utilizados para conseguir a esterilização são:

 

  • Autoclaves: altamente efetivas e baratas. Não é conveniente para objetos sensíveis.

  • Fornos a ar quente: convenientes para objetos sensíveis, mas deixa resíduo tóxico nos itens esterilizados.

  • Vapor à baixa temperatura e formaldeído: efetivo para instrumentos com cavidades ou aberturas tubulares.

  • Química esporicidal: Freqüentemente utilizada como desinfetante, mas também, pode esterilizar instrumentos se usada por períodos prolongados.

  • Irradiação: Raios Gama e elétrons acelerados são excelentes para a esterilização.

  • Plasma.

 

O meio preferido para a esterilização é através do calor, sendo a autoclave o método mais amplamente utilizado para obtê-la.

 

Em um forno a ar seco, leva duas horas a 160°C para matar os esporos da bactéria Clostridium botulinium (associada com a comida enlatada). Usando o vapor saturado, os mesmos esporos são mortos em apenas cinco minutos a 121°C, provando que calor úmido é mais efetivo que o calor seco.

 

Desenho e Controle da Autoclave

 

Para se efetivo contra a formação de bactérias e vírus, as autoclaves precisam de:

 

  • Ter vapor em contato direto com o material a ser esterilizado (i.e. o carregamento dos itens é muito importante).

  • Criar um vácuo para deslocar todo o ar inicialmente presente na autoclave e substituí-lo por vapor.

  • Implementar um esquema de controle bem desenhado para a evacuação do vapor e refrigeração, para que a carga não pereça.

 

A eficiência do processo de esterilização depende de dois fatores principais. Um deles é o tempo térmico final, isto é, o tempo que os micróbios devem ser expostos a certa temperatura antes de estarem todos mortos. O segundo fator é o ponto térmico ou temperatura térmica final onde todos os micróbios em uma amostra estão mortos.

 

O calor suficiente assegurado pelo vapor e pressão é transferido para o organismo para matá-lo. Uma série de pulsos de pressão negativa é utilizada para aspirar todos os vestígios de ar, enquanto a penetração do vapor é maximizada pela aplicação de pulsos positivos sucessivos.

 

Os ciclos normalmente usados nas autoclaves são:

  1. Ciclo para tecidos, unidades de filtro reunidas e descartar cargas.

  2. Ciclo para plásticos e vidros de laboratório.

  3. Ciclo usado principalmente para descartar cargas.

 

 

 

 

 

O desempenho do processo pode ser confirmado pelo monitoramento das alterações de cor no indicador, freqüentemente marcadas nos pacotes ou produtos que passarão pela autoclave. Indicadores biológicos como os Attests podem ser utilizados também. Eles contêm os esporos do Bacillus sterothermophilus, que estão entre os organismos mais resistentes que uma autoclave tem a destruir. Após uma execução na autoclave, o vidro interno no vial do Attest é despedaçado, permitindo que os esporos vão para um meio líquido diferencial. Se a autoclave tiver destruído os esporos, o meio permanece azul. De outro modo, os esporos irão metabolizar, gerando uma alteração na cor para o amarelo após dois dias de incubação a 56°C.

 

Um sistema de controle deve, portanto, fornecer flexibilidade para que o controle repetido e preciso da esterilização seja obtido o que inclui as seguintes funções:

 

  • Controle preciso do loop com programação do perfil do setpoint

  • Sistema de Gerenciamento de Receita para fácil parametrização

  • Controle seqüencial para as estratégias de controle complexas

  • Coleta segura de dados on-line do sistema de esterilização para análise e evidência

  • Visualização local para o operador com gráficos claros e controle de acesso aos parâmetros

O Supervisor Visual EyconTM é uma solução ideal para esta aplicação.

 
 

©2008 Eurotherm | Informação Legal & Política de Privacidade | Powered by Eurotherm™ Brazil